30 de março de 2020 16:46

‘La Casa de Papel’: o que você precisa lembrar antes de ver a 4ª temporada?

Autor: UOL

“La Casa de Papel” parte 4 chega à Netflix nesta semana, em 3 de abril. E se você é um autêntico maratonista de séries, provavelmente não vai se lembrar com tantos detalhes da temporada anterior. Para que a continuação do assalto ao Banco da Espanha chegue com menos sofrimento, vamos retomar os principais pontos dos episódios anteriores.

Não custa reforçar: se você ainda não viu as primeiras temporadas de “La Casa de Papel”, pare por aqui. O texto —claro— está repleto de spoilers, principalmente da parte 3.

Vamos lá? . . .

Inspetora está do lado deles

Uma das grandes novidades da parte 3 foi que a Inspetora Murillo, a Raquel (Itziar Ituño), virou a casaca por amor e está ao lado do bando do Professor (Álvaro Morte). Ela agora é Lisboa. Mas a lua de mel não durou muito. Apesar de sua ajuda ter sido valiosa, Lisboa foi capturada pela polícia logo na primeira enrascada em que ela e o cabeça do plano se meteram e, na próxima temporada, vai ter de encarar de novo seus antigos companheiros da polícia de Madri.

Raquel/Lisboa em apuros

Ex-companheiro de Raquel na polícia, Ángel (Fernando Soto) volta à ativa na parte 3 e é o comandante da operação que a capturou. Ele sabe detalhes da vida da ex-inspetora e pode usar a família dela —a filha criança e a mãe doente— como parte da negociação por detalhes do novo assalto. Mas, apesar disso, não podemos esquecer que ele já foi apaixonado pela ex-parceira e que um coração mole pode fazer tudo mudar em “La Casa de Papel”.

Professor perdeu o controle

Já do lado do Professor, que mais uma vez comandava o plano à distância, nada vai bem também. Ele ouviu um tiro pelo telefone e acredita que Raquel não só foi capturada, como morta. De coração partido pela primeira vez, dificilmente ele terá cabeça para comandar o assalto ao Banco da Espanha, que também já está fora de controle.

Grupo novamente dividido

Se Berlim (Pedro Alonso) entrou em conflito com os próprios comandados nas partes 1 e 2 de “La Casa de Papel”, quem chega para cumprir esse papel na parte 3 é Palermo (Rodrigo De la Serna). O engenheiro, que tem uma história no passado com Berlim e conhece detalhes do plano, tem um temperamento nada ideal para a convivência em grupo. Além dessa tensão, ele tem um envolvimento puramente sexual com Helsinki (Darko Peric), que mostrou seu lado mais sensível ao ficar abalado com a rejeição.

Reféns ou aliados?

Mais uma vez os reféns têm um papel importante no plano e alguns deles que já foram mais explorados na parte 3 devem ganhar ainda mais destaque na próxima temporada. Quem, por exemplo? A secretária Amanda (Olalla Hernández), Pablo (Fran Morcillo) e Matias (Ahikar Azcona), que já ajudaram o grupo, e uma refém cujo nome ainda não foi revelado, interpretada pela atriz Belén Cuesta. E Arturo (Enrique Arce), que deu um jeito de voltar para perto do grupo.

Estocolmo e Denver

Outra personagem que virou a casaca foi Monica (Esther Acebo), ex-secretária de Arturo. Sob o codinome Estocolmo, ela ficou definitivamente com Denver (Jaime Lorente), e — na parte 3— descobrimos que ele está criando o pequeno Cincinnati (Luca Anton) como filho. Mas a tensão do assalto e um vacilo de Tóquio (Úrsula Corberó) abala a relação do casal e a história de amor já chega bem estraçalhada na parte 4.

Como o assalto começou?

O grupo se reuniu após a fuga para destinos paradisíacos com um único objetivo: resgatar Rio. O hacker do grupo deu um vacilo primário ao tentar falar com Tóquio e emitiu um sinal de satélite para a polícia da Espanha. A reunião, em um primeiro momento, tem um clima de amizade e união em que todos lutam por todos. Mas tão logo o assalto começa a tensão das temporadas anteriores é retomada. Rio é usado como moeda de troca pela polícia após meses de sumiço e uma forte negociação.

Ouro é o objetivo

Os assaltantes têm ainda uma grande vantagem nesse assalto, que só deve ser concluído na parte 4. O povo está a favor deles. Pelas ruas de Madri, o bando do Professor é tratado como revolucionário e ganha forte apoio. Uma chuva de dinheiro sobre a capital espanhola é a tática para despistar a polícia e conseguir acessar a maior reserva de ouro do país. E o plano é bem mais complexo, já que inclui acessar um cofre inundado pelo sistema de segurança.

E a Nairóbi

O grande gancho para a próxima temporada é a sobrevivência ou não de Nairóbi (Alba Flores), uma das líderes femininas. A personagem, que ficou marcada pela célebre frase “empieza el matriarcado” (começa o matriarcado), levou um tiro ao cair em uma emboscada da temida Inspetora Alícia (Najwa Nimri). Grávida e impiedosa, ela usou o filho de Nairóbi como isca para levar a assaltante para uma das janelas do Banco da Espanha. De lá, segurando o ursinho do filho, ela é acertada por um atirador de elite.

Os novos velhos personagens

Na parte 3 também fomos introduzidos a personagens que podem fazer toda diferença no rumo da nova temporada. O soldador Bogotá (Hovik Keuchkerian), que fez investidas nada educadas em Nairóbi, o grandalhão Marselha (Luka Peros), que está do lado de fora despistando a polícia com sinais de satélite e a doce Tatiana (Diana Gómez), que apareceu pouco, mas está completamente ciente do plano do assalto ao Banco da Espanha. Até agora ela só esteve nos flashbacks, como a namorada de Berlim, mas nada impede que a moça volte para salvar ou acabar de vez com o bando do Professor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *