11 de agosto de 2020 08:27

Após morte de Teófilo, Arapiraca já vivencia instabilidade política na briga pelo poder

Autor: Redação

O falecimento do prefeito de Arapiraca, Rogério Teófilo, ocorrido no final de semana passada, provocou lamentos na classe política. Teófilo foi homenageado tanto por aliados como por adversários políticos, sendo lembrado como um gestor que não fez inimigos, mesmo diante das disputas eleitorais que enfrentou. Teófilo foi secretário de Educação, deputado estadual, deputado federal e – por fim – prefeito da segunda maior cidade do Estado. Teófilo faleceu em decorrência de complicações por conta de uma pneumonia. Porém, mesmo diante do clima de luto tanto na classe política quanto na cidade, já no dia de ontem, se iniciou uma disputa nos bastidores em função da rearrumação das forças que disputarão o pleito no ano de 2020.

E ntre os possíveis pré- -candidatos, está a vice- -prefeita Fabiana Pessoa (Republicanos). Apesar do cargo que ocupava, Pessoa já se encontrava na oposição ao prefeito. Agora, assumindo a Prefeitura de Arapiraca, ela passa a ser candidata de situação. Porém, mesmo sem ter assumido a gestão ainda, já houve confrontos entre Fabiana Pessoa e o grupo político que se encontrava na gestão.

Ontem, o secretariado de Rogério Teófilo emitiu nota de repúdio a Fabiana Pessoa e, na Câmara de Arapiraca, não houve a posse oficial porque não conseguiram encontrar o presidente do Legislativo, o vereador Jairo Barros. POSSE Fabiana Pessoa – por meio de seu advogado – disse ontem que chegou a afirmar que poderia acionar a Justiça para se oficializar no cargo de prefeita.

O advogado dela foi até a sede do Legislativo protocolar o documento solicitando que a Câmara iniciasse os procedimentos necessários, mas não encontrou o presidente da Casa para os trâmites legais. “O decreto de luto de três dias não impede a posse da prefeita. Ela pode tomar posse, mas na próxima sessão legislativa, ela pode fazer o juramento para poder cumprir os protocolos legais”, disse o advogado Moisés Balbino.

“O que a prefeita quer é conciliar, é serenidade no município, para que junto com o povo de Arapiraca, possa enfrentar e ultrapassar essa crise”, finalizou. Após a confusão, o Poder Legislativo emitiu nota informando que recebeu, ontem, o requerimento de pedido de posse e que a cerimônia ocorrerá hoje, às 11h. Fabiana assumirá a gestão já tendo que nomear todo secretariado novamente.

SECRETARIADO

Enquanto brigava para tomar posse, Fabiana Pessoa ainda foi acusada – por um grupo de secretários da gestão de Rogério Teófilo – de fechar o Centro Administrativo, impedindo que os servidores comissionados tivessem acesso ao prédio. A acusação foi formalizada – por meio de nota – por quatro secretários municipais, dentre eles, o de Gestão, Antônio Lenine. Os demais que assinam a nota é Anadja Gomes (Desenvolvimento Social) e Carlos Henrique Lúcio (Desenvolvimento Rural).

Segundo os secretários, Fabiana Pessoa e o marido – o deputado Severino Pessoa – teriam determinado, ainda na noite de domingo, o fechamento do Centro. Fabiana Pessoa nega e diz que sequer tomou posse, portanto não poderia ter determinado algo com poderes de prefeita. Ela ainda diz que houve uma mobilização para impedir a sua posse. Em meio à confusão, o secretariado entregou uma carta coletiva de entrega de cargos, demonstrando que o primeiro escalão não seguirá ao lado da futura prefeita.

Fabiana Pessoa deve enfrentar as eleições vindouras contra o MDB do governador Renan Filho, que pode lançar- na disputa local – o vice-governador Luciano Barbosa ou o deputado estadual Ricardo Nezinho. Há ainda outros candidatos no pleito. No documento de entrega dos cargos, os secretários afirmam “não concordar com os fatos lamentáveis ocorridos nos últimos dias” e que tomam a decisão “por entendermos que nossa missão na presente gestão foi cumprida ao lado do nosso saudoso e honrado ex-prefeito”.

Os secretários ainda pedem que Fabiana Pessoa deixe “os interesses pessoais em segundo plano, buscando evitar a profecia do grande escritor e poeta William Shakespeare, quando afirmou que “os covardes morrem várias vezes antes da sua morte, mas o homem corajoso experimenta a morte apenas uma vez”.

Assinam a nota os secretários de Gestão Pública, Desenvolvimento Rural, Infraestrutura, Educação, Transporte Trânsito, Comunicação, Saúde, Serviços Públicos, Desenvolvimento Social, Chefia de Gabinete, Coordenação de Licitação e Coordenação de Monitoramento. Parte dessa briga, na cidade, tem a ver com o xadrez eleitoral que passa a se modificar diante da ausência de Rogério Teófilo na disputa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *