23 de outubro de 2020 11:15

Com PT no comando, criminalidade, lesões corporais e homicídios aumentam no RN

A violência aumentou no Rio Grande do Norte ao longo do primeiro semestre de 2020, na comparação com o primeiro semestre de 2019, de acordo com dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2020, lançado pelo Fórum de Segurança Pública. O estudo buscou levantar o impacto da pandemia do coronavírus sobre os dados da segurança pública neste período.

Para os pesquisadores, embora as previsões mais pessimistas não tenham se concretizado, o Brasil voltou a registrar aumento de mortes e perdeu “uma grande oportunidade de transformar a tendência de redução das mortes violentas intencionais observada entre 2018 e meados de 2019” em algo permanente.

De janeiro a julho, o Rio Grande do Norte registrou aumento superior a 11% nas mortes violentas intencionais, que envolvem casos de homicídios, latrocínios, e também de mortes por intervenção das polícias. Já os estupros de vulneráveis tiveram crescimento de 47,5% e a lesão corporal e a ameaça contra mulheres também registraram altas. Os números ficaram na contramão dos dados totais de 2019 – ano em que o estado apresentou redução de mortes letais intencionais pela segunda vez consecutiva e registrou o menor número de vítimas da violência desde 2012, por exemplo. No primeiro semestre de 2020, os dados apontam um crescimento superior a 11,8% nas mortes violentas intencionais, que chegaram a 797 contra 713 no mesmo período de 2019.

O aumento é maior que a média nacional, que ficou em pouco mais de 7%. O número de homicídios dolosos aumentaram 12,1% no Rio Grande do Norte, passando de 535 de janeiro a julho de 2019 para 600. Ainda no mesmo período, a quantidade de latrocínios, que são os roubos seguidos de morte, passou de 32 para 39 – aumento de 21,9% – na contramão do resultado nacional, que foi de queda de 13,6%. Também no período, enquanto a morte de policiais em serviço caiu 50% (de dois casos, reduziu para um), o número de pessoas que morreram em intervenções policiais aumentou de 63 para 85 no semestre – um incremento de 34,9%.

O número de feminicídios caiu mais de 28% no período, por outro lado a violência doméstica aumentou no semestre. Enquanto o Brasil reduziu o número de lesão corporal dolosa contra vítimas do sexo feminino em 9%, o Rio Grande do Norte aumentou 13,6%, passando de 952 no primeiro semestre de 2019 para 1.081 no primeiro semestre de 2020. ROUBOS Embora tenha registrado redução de quase 2% no número de roubos de veículos e de quase 20% no total de roubos, o estado registrou praticamente o dobro do número de pessoas roubadas nas ruas.

O número passou de 3.205 em 2019 para 6.344 em 2020 – aumento de quase 98%. Já o número de roubos a estabelecimentos subiu de 260 para 472, em um crescimento de 81,5%. Os roubos a residências também tiveram aumento significativo, passando de 394 para 659 (+67,3%). O estado ainda registrou aumento de 57% nos casos de tráfico de drogas. De acordo com o levantamento, o Rio Grande do Norte registrou redução de 26,5% no número de mortes violentas intencionais de 2019, quando foram registradas 1.426 vítimas, ante 1.926 em 2018. A taxa de morte caiu de 55,4 por 100 mil habitantes para 40,7. Foi a quinta maior redução entre os estados brasileiro. Na prática, foi o menor número de mortes violentas em sete anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *