19 de novembro de 2020 09:56

Alagoas é o terceiro estado do país com menor consumo de bebidas alcoólicas

CD

Em Alagoas, 16% dos alagoanos em idade adulta afirmaram ter bebido uma vez ou mais por semana em 2019. A porcentagem é a terceira menor do país, ficando na frente apenas dos estados do Acre (12,8%) e Amazonas (14,4%). Os dados são da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), divulgada ontem.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 23,8% dos homens adultos relataram que beberam pelo menos uma vez na semana. Já entre as mulheres adultas, a taxa foi de 9,4%. No comparativo por faixa etária (ambos os sexos), a maior proporção de pessoas que beberam pelo menos uma vez na semana foi de adultos com 25 a 39 anos (19,8%), seguida por jovens de 18 a 24 anos e adultos de 40 a 59 anos (16,8%).

Apenas 8% dos idosos de 60 anos ou mais consomem bebida alcoólica em Alagoas, a faixa com o menor resultado. Já no comparativo por faixas de rendimento per capita, percebe-se que quanto maior a renda, maior o consumo de bebida alcoólica. O índice começa com 13,3% entre os sem rendimento até ¼ do salário mínimo, chega a 18,9% entre os que estão na faixa de mais de 1 a 2 salários e chega a 45,8% entre os que ganham mais de 5 salários.

CIGARRO

O resultado da PNS 2019 mostra que, em Alagoas, 256 mil pessoas maiores de 18 anos consumiram produtos derivados de tabaco, fumado ou não fumado, de uso diário ou ocasional. Isso representa 10,6% da população. O percentual é maior entre os homens (13,9%). Já entre as mulheres, o percentual é de 7,9%. A maior proporção de fumantes foi na faixa etária de 40 a 59 anos (13,2%), e a menor, de 18 a 24 anos (8,1%). Outro dado que chama a atenção na pesquisa é que, assim como no observado para o Brasil, quanto maior o nível de escolaridade, menor a proporção de fumantes em Alagoas.

A faixa com o maior percentual é a de pessoas sem instrução/nível fundamental incompleto: 15,8%. A proporção vai diminuindo: para 12,7% na faixa de pessoas com fundamental completo e médio incompleto, até chegar a 4,8% para médio completo/superior incompleto e a 1,7% entre homens e mulheres com nível superior. No nordeste, somente Sergipe (9,4%) e Bahia (10,1%) apresentaram taxas mais baixas de adultos fumantes.

A média para a região foi de 11,1%. A pesquisa também mostra a proporção de motoristas que conduziram carro ou motocicleta após o consumo de bebida alcoólica, independentemente da quantidade. O resultado aponta que 16,4% dos motoristas alagoanos dirigiram após beber, o segundo menor percentual da região nordeste.

Pernambuco, com 14,6%, registrou o menor índice. No recorte por gênero, a proporção de mulheres alagoanas que conduziram carro ou moto após o consumo de álcool foi de 6,6%. Já entre os homens motoristas, o percentual chegou a 18,9%, quase um em cada cinco. Na comparação por idade, adultos de 18 a 24 anos apresentaram a maior proporção: 23,3%, enquanto idosos de mais de 60 anos tiveram a menor, 6,2%. No Brasil, o percentual de quem dirigiu após beber foi de 17%, sendo menor nas regiões Sul e Sudeste (14,8% cada) e maior no Norte (23,4%). Na área rural, a proporção foi maior que a média nacional, de 22,5%, enquanto na área urbana ficou em 16,2%.

A PESQUISA

O consumo de bebida alcoólica, sinaliza o IBGE, é um dos maiores fatores de risco para a população, sendo considerado uma das principais causas de Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT), bem como dos acidentes e violências. Realizada em convênio com o Ministério da Saúde, o quarto volume da PNS, divulgado no dia de ontem, apresenta dados sobre a percepção do estado de saúde, estilos de vida, doenças crônicas e saúde bucal.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *